top of page

O que é assédio moral no trabalho?




É uma forma de violência no trabalho que consiste na exposição prolongada e repetitiva dos trabalhadores a situações vexatórias, constrangedoras e humilhantes, praticadas por uma ou mais pessoas. Ocorre por meio de comportamentos com o objetivo de humilhar, ofender, ridicularizar, inferiorizar, culpabilizar, amedrontar, punir ou desestabilizar emocionalmente os trabalhadores, colocando em risco a sua saúde física e psicológica, além de afetar o seu desempenho e o próprio ambiente de trabalho. (NÚCLEO DE ESTUDOS DE PROCESSOS PSICOSSOCIAIS E DE SAÚDE NAS ORGANIZAÇÕES E NO TRABALHO).


O termo “assédio” advém do verbo “assediar” que significa “perseguir com insistência, importunar, molestar, com pretensões insistentes; assaltar.


O termo “moral” compreende um aspecto filosófico, ligado ao agir em conformidade com as normas morais ou escritas que regulam a conduta da sociedade.


A prática do assédio moral prejudica, degrada, destrói o ambiente de trabalho, desestabilizando a vítima, provocando neste um cansaço, um verdadeiro desgaste emocional que pode evoluir para doenças de ordem psíquicas e físicas, acarretando incomensuráveis prejuízos à saúde mental e física do trabalhador.


Logo, é indubitável que a prática do assédio moral viola e agride o princípio da dignidade humana do trabalhador, atingindo seus direitos de personalidade, bem como prejudicando sua integridade física e psíquica, afastando – e até mesmo eliminando – a vítima da organização do trabalho.


O assédio moral revela-se como uma conduta contrária não só à moral, mas também contrária à própria Carta Magna, eis que agride tanto a dignidade humana como os direitos de personalidade, além de violar – ainda – as normas juslaborais, em especial os arts. 482 e 483 da CLT.


A psicóloga francesa, Marie-France Hirigoyem afirma que o assédio moral não é um fenômeno novo, na verdade, é tão antigo quanto o próprio trabalho.


A OMS (Organização Mundial da Saúde) prevê o aumento galopante das doenças ligadas às formas de gestão e organização do trabalho. Nas próximas décadas irão dar corpo a uma era de novas doenças profissionais – os transtornos psicológicas.


Heinz Leymann introduziu, assim, o conceito de mobbing para descrever as formas austeras de assédio dentro das organizações empresariais. (psicólogo Heinz Leymann – pesquisador alemão, radicado na Suécia – que publicou em 1982 uma pesquisa sobre as consequências da exposição da pessoa a comportamentos degradantes no trabalho).


Assista vídeo explicativo:





ATENÇÃO: No Brasil, o assédio moral atinge 36% da população economicamente ativa. Pesquisa realizada pela médica do trabalho Margarida Barreto, da PUC de São Paulo, entre 2001 e 2005, mostrou que o assédio moral acontece de norte a sul

do País. De um universo de 42,4 mil trabalhadores de empresas públicas e privadas, governos e organismos não-governamentais, dez mil haviam sofrido algum tipo de humilhação no trabalho. Em países europeus, pesquisas comprovam a prática de assédio moral nas relações de trabalho. Exemplificativamente, citam-se:

Reino Unido - 16,3%, Suécia - 10,2%, França -9,9% e Alemanha - 7,3%.

Fonte: (www.assediomoral.org)


O assédio moral é o "terror psicológico" impingido ao trabalhador, "ação estrategicamente desenvolvida para destruir psicologicamente a vítima e com isso afastá-la do mundo do trabalho" (cf. Márcia Novaes Guedes, in "Mobbing – Violência Psicológica no Trabalho", Revista LTr, 67-2/162/165).


Contrate agora nosso treinamento: CLIQUE AQUI



3 visualizações0 comentário
bottom of page